Mérida foca questão tributária em sua posse

Confira o discurso completo do novo presidente eleito que também assume Fundação CDL


05/07/2011 00h00

O presidente da Câmara de Diretores Lojistas de Campos (CDL) e da Fundação da CDL, Marcelo Mérida, disse em seu discurso de posse que o foco neste primeiro momento de gestão será a questão tributária, em uma referência ao Programa de Aplicativo Fiscal (PAF), Substituição Tributária e a elasticidade do faturamento das empresas inclusas no Programa Simples do Governo Federal.

-Vamos continuar a luta contra a implantação do Programa de Aplicativo Fiscal (PAF) para as micro e pequenas empresas. Conseguimos um novo adiamento, mas precisamos de uma definição. Pretendemos solicitar uma audiência ao governador Sérgio Cabral Filho para tratar do assunto. Seria uma audiência da Federação com todas as CDLs do estado- disse Mérida.

Mérida acrescentou que neste mesmo foco, os lojistas vão continuar lutando pela ampliação do faturamento das empresas do Simples, o que está sendo discutido em Brasília, a exemplo da Substituição Tributária.

- Essa questão tributária, neste primeiro momento terá uma prioridade, uma atenção especial da nossa gestão. Quando a interatividade da CDL com outros pares, a sociedade organizada e os poderes públicos, ela será intensificada, sempre com um discurso propositivo, e levando-se em conta os interesses de toda a sociedade- afirmou.

Por fim, Marcelo Mérida, falou de sua preocupação em preparar o comércio para um novo momento que Campos e a região vão viver, a partir de investimentos previstos, que irão mudar o perfil de economia regional.

- Temos que nos preparar para esses novos desafios. O comércio tem que se profissionalizar ainda mais. Temos que capacitar os nossos jovens, entre uma série de outros aspectos necessários diante deste novo horizonte- concluiu.

Leia na íntegra:

Boa noite senhoras e senhores.

Segundo ensinamento de São Francisco de Assis

Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível.

Lembro-me quando assumi a presidência desta Casa pela primeira vez, e a primeira vez a gente nunca esquece, frase famosa do publicitário Washington Olivetto. E jamais esquecerei.

Lembro-me também que Já fiz discursos anteriores de despedida, mas foi apenas uma retórica. Talvez numa afirmativa que desta Casa ninguém se despede.

Lembro-me que em um deles usei a expressão “Chegar lá...” Chegar lá  eis a questão”.  Essa é uma Casa de metas e alcançá-las é o principal objetivo.

Podemos ter perdido sim, algumas coisas, o que é normal, e algumas vezes perder o que parecia estar nas mãos.

Mas sempre jogando limpo e aprendendo com o tempo, que a CDL deixou de ser exclusivamente a nossa Casa, a casa do lojista, para ser a Casa dos interesses coletivo de toda a sociedade Campista.

Eu andei me perguntando por quê voltar a ser presidente desta casa? Essa é uma pergunta cuja resposta ainda não encontrei, mais o tempo...o tempo talvez dirá.

Mas uma coisa eu tenho certeza, esta pergunta que não deve ser respondia com uma frase pronta.

Tem que ser respondida com ações.

E espero e conto com todos para poder dar uma resposta... uma resposta a altura da pergunta, ou seja, estamos pensando grande, grande como se desenha o futuro de nossa Campos, o que torna nossa responsabilidade imensa.

Futuro desta casa...

É importante deixar claro que nesta Casa nunca houve crise de continuidade, muito pelo contrario. É uma instituição de 48 anos, e por aqui passaram 32 companheiros presidentes, o que ilustra bem seu compromisso com a renovação.

Isso porque temos identidade, e esse é o legado que cada um de nós recebe dos que saem, e cada um de nós passamos para os que chegam.

A história desta Casa nunca se repete. Reflete o tempo e o espaço de cada gestão, oxigenando os conceitos e se preparando para novos desafios.  Essa casa nos faz rejuvenescer para enfrentar desafios que nascem. E como temos tido desafios....

A missão

Nossa missão será múltipla, diante das expectativas do crescimento econômico e da conturbada legislação tributaria.

E para que o crescimento não nos engula, e me refiro diretamente aos micros e pequenos empresários, assumimos neste momento com foco na questão tributária.

Todos têm acompanhado nossa luta contra o Programa de Aplicativo Fiscal, o PAF. O aumento do limite de faturamento das empresas inclusas no Simples e a questão da Substituição Tributária.

E por falar em missão. Se estamos aqui e vivos, e por que nossa missão ainda não foi cumprida

O tempo e as transformações....

Neste contexto foi exatamente o que fez a CDL em movimento nacional quando assumiu a nomenclatura de Câmara, começou a influir sem se deixar a influenciar.

Começou a pontuar sem necessariamente apontar.

Começou a cobrar sem necessariamente exigir.Começou a interagir com coisas maiores e desta forma ficou maior. E todos nos aqui crescemos.

“Chagar lá....”

“Chagar lá....”. e Onde temos que chegar?

E a pergunta que eu faço quando me vejo de volta aqui.

Agora posso responde sem a necessidade do tempo e a resposta é a seguinte: sempre que os interesses da nossa categoria e da sociedade estiverem em jogo, temos que chegar, ou melhor ainda

chegarmos juntos, onde quer que seja mas unidos.. Isso é o que nossa classe espera de nós.

Repetimos que o cenário econômico da nossa cidade é totalmente outro.

A cidade de Campos cresceu: acumulou riquezas, soluções e também problemas, como é normal em qualquer cidade que cresce, por isso temos que interagir.

Vamos manter em nossas relações institucionais uma parceria de independência, como prevê o bom costume e também o nosso estatuto.

Nossa mão estendida, será sempre de cumprimento, aquele gesto cordial que sela uma amizade ou assume um compromisso.

Não usaremos os dedos das nossas mãos para apontar a esmo.

Mas não abriremos mão do nosso direito enquanto sociedade organizada de pontuarmos equívocos, quer seja em qualquer esfera do poder.

Seja institucional ou público: municipal, estadual ou federal.

Porém, sempre com um discurso propositivo.

Gratidão...

Gratidão é uma palavra que não poderia faltar neste discurso. Não seria justo, como não seria justo citar nomes, pois a minha gratidão neste momento é um sentimento estendido a todos aqui.

Responsabilidade

Nossa responsabilidade agora é dobrada, assumindo também a presidência da Fundação CDL, razão pela qual espero a total colaboração da diretoria de ambas as entidades, dos conselhos constituídos, como do nosso corpo de funcionários.

A fundação CDL, instrumento de profissionalização e ações desta casa, ainda começando a dar seus primeiros passos, não pode abrir mão de associar-se a co- irmãs com experiência secular, em serviços prestados a esta cidade, por isso presidentes de Fundações presentes aqui, contamos com vocês.

Muita companheiros, esperam e confiam que chegaremos lá e chegaremos com a ajuda de todos, sem querer copiar o Barack Obama, sim nos podemos. Mas nós podemos

Mas repetindo, sozinho não conseguiremos, mas com cada um de vocês, juntos, poderemos chegar, conquistar, despertar, sonhar, realizar....

O que não conseguimos ontem tentaremos conseguir hoje. O que não conseguimos hoje, vamos conseguir amanhã. Esse é o ciclo.

Esperança

Se tem uma coisa que vocês podem esperar desta gestão é o sentimento de esperança.

Não aquela esperança que é a última a morrer, pois estamos falando de vida.

Não a esperança de quem espera, mas a esperança de quem busca dias melhores.

Entendemos que a verdadeira medida do tempo não é o relógio. A verdadeira medida do tempo se chama Esperança.

E o tempo começa a contar a partir de agora...

.Muito obrigado.


Centro a Mil


CERTIFICADO DIGITAL - RÁPIDO, FÁCIL E SEGURO É CDL!



1

Dúvidas? Chame no WhatsApp