Demissões por acordo têm alta adesão após reforma trabalhista

Em dezembro do ano passado, o primeiro mês completo sob vigência da nova legislação trabalhista, foram registradas 5,8 mil demissões por acordo entre funcionário e empregador. Seis meses depois, em maio deste ano, o número saltou para 14,5 mil.


06/07/2018 08h29

Uma das principais novidades da reforma trabalhista, a demissão por acordo ocorre quanto empregado e empregador chegam a um consenso sobre a rescisão do contrato. Nesse caso, a empresa paga apenas metade da multa sobre o FGTS. Já o funcionário pode sacar até 80% do FGTS, sem direito ao seguro desemprego.

A nova regra viabilizou solução amigável para o velho impasse entre o funcionário quem não queria continuar na empresa, mas não pedia demissão para não perder os direitos trabalhistas, e nem era demitido porque a empresa não queria ‘premiar’ um profissional pouco engajado.

Helton Yomura, Ministro do Trabalho, afirma que a modalidade é benéfica tanto para empresas quanto funcionários. Ele acredita que o avanço nas demissões por acordo mostra que a lei está ‘pegando’ conforme se torna mais conhecida.

Fonte: Portal Supermercado Moderno


Avança Varejo



1

Dúvidas? Chame no WhatsApp